Festival de Inverno Bahia divulga grade de atrações; confira

12/07/2018

Evento acontece entre os dias 24, 25 e 26 de agosto em Vitória da Conquista. Primeiro lote de ingressos já está à venda

A cidade de Vitória da Conquista já pode se preparar para mais um Festival de Inverno da Bahia. O evento deste ano está marcado para os dias 24, 25 e 26 de agosto e as atrações já estão definidas. Na sexta, shows de Fábio Jr, Biquini Cavadão e Luan Santana. No sábado, Anavitória, Paulo Miklos, Lulu Santos e Pitty e, no domingo, tem apresentação de Roupa Nova, Capital Inicial e Alok. Os ingressos já estão à venda. O Festival de Inverno da Bahia acontece no Parque de Exposições da cidade.

 Os valores do 1º Lote variam entre R$52 e R$635, são válidos até 21 de julho. No dia seguinte, ocorre a primeira virada de preços. Os ingressos podem ser adquiridos em lojas físicas em Vitória da Conquista e em Salvador e pela internet. Com visual clean e sustentável, a Loja Oficial, no Boulevard Shopping Vitória da Conquista, já está funcionando. O acesso para a festa pode ser adquirida com pagamento em dinheiro, cartões de débito e crédito, e ainda parcelados em até 6x.

Estrutura - Com uma superestrutura, que garante conforto e segurança, o FIB 2018 ainda guarda surpresas para o público. São dois camarotes (VIP e Open Prime) e três palcos com o melhor da música brasileira. A organização do evento promete grades com atrações que não vão deixar ninguém parado. Outro destaque é a gastronomia que também segue a linha da diversidade para agradar a todos os paladares. O festival terá restaurantes, bares e food trucks espalhados pelo parque. Conforto e comodidade, como nos bares que aceitarão pagamentos em cartão (Visa, Mastercard, Elo, Hiper/Hipercard, Ticket e Sodexo).

Festival de Inverno Bahia 2018

Quando: 24, 25 e 26 de agosto,

Onde: Parque de Exposições Teopompo de Almeida, em Vitória da Conquista
Abertura dos portões: 19h (sexta e sábado) e 18h (domingo)
Atrações: Fabio Jr, Biquíni Cavadão, Paulo Miklos, Pitty, Roupa Nova, Lulu Santos, Capital Inicial e Alok.
Classificação: 16 anos para os espaços Arena e Camarote VIP e 18 anos para o Camarote Open Prime

Fonte: Ibahia 

Iron Maiden divulga filmagens inéditas da turnê “Legacy Of The Beast”

09/07/2018

O Iron Maiden disponibilizou mais filmagens oficiais da turnê mundial “Legacy of the Beast”.

Ultimamente, a banda britânica tem iniciado os shows com “Aces High”. Outras músicas famosas que também compõem a tracklist são “The Clansman” e “Sign Of The Cross”, além de três músicas que estão sendo tocadas pela primeira vez em anos, como “For The Greater Good of God”, “The Wicker Man” e “Flight of Icarus”.

A estética por trás da turnê “Legacy Of The Beast”, além de raízes no jogo para smartphones de mesmo nome, também busca referências na HQ do próprio Maiden. O design do palco apresenta uma quantidade de “mundos” diferentes e interligados que compõem a turnê junto de uma grande seleção de material dos anos 1980, misturados à influência de álbuns posteriores para constituir grande diversidade musical.

Fonte: Amanda Candeias Dystyler – Wikimetal

Livro de ex-guitarrista revelará história “perdida” da Legião Urbana

09/07/2018

Kadu Lambach

Existe uma lacuna na história oficial da Legião Urbana compreendida entre sua formação em 1982 e a entrada do guitarrista Dado Villa-Lobos no ano seguinte, pouco antes da gravação do primeiro álbum. Embora breve, esse período embrionário de cerca de um ano rendeu brigas, prisão e uma inesperada separação devido a “divergências criativas”. Mais do que isso: foi importantíssimo na construção da identidade de uma das banda mais populares do país.

Os episódios e os detalhes desse processo são o chamariz de “Música Urbana – O Início de uma Legião”, livro que Kadu Lambach, o “Eduardo Paraná”, primeiro guitarrista da Legião Urbana, está preparando com o jornalista e economista André Luiz Molina (autor de “O Divã do Rock Brasileiro”). A obra, prevista para 2019, contará como o filho de funcionário público se mudou do Paraná para Brasília e encontrou sua turma com Renato Russo (vocal e baixo), Marcelo Bonfá (baterista) e Paulo Paulista (tecladista), afastando-se dela pouco tempo depois, ao menos musicalmente.

Na época, marcada pelas incertezas do fim da adolescência, Kadu tocava em uma banda de rock instrumental e sonhava viver de música, o que de fato ocorreu, mas não exatamente da forma que o amigo Renato, egresso do Aborto Elétrico, desejava. “Eu amava tocar com a Legião. A turma da Colina era a minha turma. Mas havia uma pressão por parte deles. Chegou um momento em que eles já não compravam minha estética de roqueiro clássico”, conta ao portal UOL Lambach, que fez carreira no jazz e MPB, chegando a tocar com Stanley Jordan, Jane Duboc e Belchior.

Fã de Led Zeppelin, Jimi Hendrix e Deep Purple, ele queria adicionar influências de guitarristas virtuosos à sonoridade da Legião Urbana, mas esse tipo de música era visto pelos ex-colegas como “ultrapassado”. “Lembro de ouvir Genesis e King Crimson com o Renato, mas ele sempre vinha e pedia ‘faz uns barulhos na guitarra aí’. Minha mãe era professora de piano clássico. Eu não entendia o que era aquilo, o conceito do noise, algo que depois virou até disciplina em Berklee [faculdade americana de música, uma das mais importantes do mundo]”.

Raridades

Trazendo raridades e materiais inéditos, “Música Urbana – O Início de uma Legião” terá prefácio escrito por Carmem Manfredini, irmã de Renato Russo. As histórias passam pela saída de Kadu, motivada por sua fidelidade à instrumental “O Cachorro”, considerada ‘progressiva’ demais para a Legião Urbana. O infame episódio do primeiro show em Patos de Minas, quando os integrantes tiveram de sair algemados após irritarem policiais com letras como a de “Música Urbana 2” (“Os PMs armados/vomitam música urbana””), será relembrado em minúcias.

Duas outras pepitas do livro: o “literário” primeiro press release da banda, redigido pelo então jornalista Renato Russo em forma de conto, em que detalha a personalidade de cada integrante (Paraná é descrito como “o virtuoso”), e fragmentos do que viriam a ser letras, incluindo a da rara “Provençal das Quadras”, primeira música ensaiada por Paraná como guitarrista na Legião Urbana e jamais lançada.

“Há muitas outras histórias do nosso início, dos primeiros ensaios. Fomos a primeira banda a alugar uma sala do prédio Radio Center, em Brasília, para ensaiar. Como a gente tocava muito alto, os funcionários ficaram revoltados. Uma mulher chegou dando esporro em mim e no Bonfá. Daí o Renato interveio e decidiu tentar uma outra abordagem, perguntando qual era o signo dela. (risos)”.

Aval de Giuliano Manfredini

O projeto do livro, ainda sem editora, está em fase de captação via Lei Rouanet. Será vendido como “o primeiro de um integrante original da Legião Urbana”. De acordo com o autor André Molina, o filho de Renato, Giuliano Manfredini, deu sinal verde para o lançamento, que leva o nome de outro projeto de Kadu, o show em que apresenta o repertório da Legião. Este ano, o músico já lançou duas faixas inéditas daquela época com letra de Renato Russo: “Medieval” e “Vício Moderno”, disponíveis em seu canal no YouTube.

“Eu tenho muito material. Letras que são um diamante e ficaram comigo por mais de 30 anos. Ainda não sei como vamos lançar isso, se vai ou não entrar no livro. Não falo com o Giuliano há muito tempo e não sei como está a coisa da briga dele com a família, mas a gente sabe que é preciso muito cuidado na hora de soltar material do Renato. A obra dele faz parte da história cultural do Brasil e merece todo o zelo”, entende Kadu Lambach, que manteve contato com o amigo por mais de uma década depois de deixar a Legião Urbana. Ele diz não guardar nenhum arrependimento da decisão. O que fica é só o pesar.

Fonte: UOL

Kadu Lambach - Vício Moderno 

Novo álbum do Megadeth será lançado em abril de 2019

09/07/2018

Em entrevista ao jornalista Mirch Lafon, Dave Mustaine revelou que o novo disco do Megadeth deve ser lançado em abril de 2018.

Nas palavras de Mustaine: “As coisas que Dirk (Verbeuren, baterista) está tocando são assustadoras. Nunca tivemos nenhuma dessas coisas de blast beats nas nossas músicas antes. Algumas das linhas de bateria são alucinantes. Está me fazendo melhorar na guitarra de novo, algo que adoro. Mas nunca pensei que tocaríamos tão rápido ou agressivo outra vez. Esperamos que saia em abril do ano que vem. Temos um grande festival que vamos anunciar e os empresários vão te contar tudo assim que possível”.

O tal novo festival será semelhante ao Gigantour, festival itinerante que aconteceu entre 2006 e 2013 e foi organizado pela Megadeth. Dave deu mais detalhes: “Faremos dez cidades em abril do ano que vem, e depois faremos novamente no meio do ano e, provavelmente, mais dez datas na parte final de 2019”, afirmou.

O trabalho será o sucessor de “Dystopia” (2016), disco que marcou a estreia de Kiko Loureiro e deu à banda um Grammy de Melhor Performance de Metal pela faixa título.

Fonte: Ricardo Seelig – Collectors Room

Creedence celebra 50 anos com novo clipe para um de seus clássicos

09/07/2018

O novo clipe de “Fortunate Son” foi dirigido por Ben Fee, que já trabalhou com bandas como The War on Drugs, Band of Horses e The Lumineers. Considerada uma das mais marcantes músicas de protesto dos anos 1960, “Fortunate Son” foi composta pelo vocalista e guitarrista John Fogerty e está presente no quarto disco do Creedence, Willy an the Poor Boys, lançado em novembro de 1969 – o single com a música saiu dois meses antes, em setembro daquele ano.

A letra criticava a Guerra do Vietnã e continua com uma mensagem tão poderosa quanto antes. As cenas presentes no clipe mostram pessoas de todas as partes dos Estados Unidos, comprovando a multiplicidade étnica e cultural do país, com imagens gravadas em locações na Flórida, Califórnia, Texas, Novo México, Louisiana, Washington e no Havaí.

A CCR50 contará com diversas ações nos próximos meses, trazendo a obra do Creedence Clearwater Revival para a mídia novamente. Serão lançados produtos e acontecerão eventos celebrando a banda, apresentando a história e o legado de uma das mais importantes bandas americanas para a nova geração.

Fonte: Ricardo Seelig – Collectors Room

Creedence Clearwater Revival “Fortunate Son”:

Aplicativos


 Locutor no Ar

Davi Oliveira

Madrugada Jovem Brasil

02:00 - 05:00

Peça Sua Música

Name:
E-mail:
Seu Pedido:


Top 5

01.

Shau & Os Anéis de Saturno

A Ciranda da Noite

02.

Capital Inicial

Não Me Olhe Assim

03.

Wekings

Viking Baby

04.

Cyndi Louper

Time Afte Time

05.

Billy Idol

Eyes Without A Face

Anunciantes