Plantão
Política

Prefeito defende diálogo entre Governo e Fundo da Amazônia

Publicado dia 21/08/2019 às 12h58min
Em coletiva , ACM Neto frisou que a Amazônia é um patrimônio do Brasil e do Mundo

O prefeito de Salvador Antônio Carlos Magalhães Neto (ACM Neto) defendeu, nesta segunda-feira 19, na abertura da Semana do Clima da América Latina e Caribe, que o governo federal deve prezar pelo diálogo com os países Alemanha e Noruega que contribuem com recursos financeiros para manutenção do Fundo da Amazônia.

 

Em coletiva , ACM Neto frisou que a Amazônia é um patrimônio do Brasil e do Mundo e o ideal, sempre, é que possamos dar as mãos e fazer o diálogo prevalecer. “Não acho que se deva tensionar nem com a Alemanha nem com a Noruega e nenhum outro país do mundo que contribua para o fundo. Devemos deixar de lado as disputas ideológicas, pois a questão ambiental está acima das questões ideológicas ou do pensamento político partidário de quem governa nesse ou aquele momento. Nós todos somos passageiros e o nosso patrimônio natural é permanente. Esta tem que ser uma mensagem muito clara”, alfinetou.

 

Prefeito da primeira capital do Brasil, ACM Neto completou sua sentença dizendo: “Defendo que, se possível, essa questão seja superada na base do diálogo e que não exista um conflito, que depois venha a comprometer recursos importantes que o Brasil recebe desses países para o Fundo da Amazônia”. Feliz pelo sucesso do encontro, que reúne até a próxima sexta-feira 23, mais de cinco (5) mil pessoas de 26 países, ACM Neto acrescentou: “Esse evento tem um apelo muito especial, exatamente em função da discussão sobre o clima, sobre sustentabilidade e o respeito à preservação do meio ambiente”.

 

EVENTOS

 

Ainda na abertura da Semana do Clima da América Latina e Caribe, a Prefeitura Municipal de Salvador instaurou o Painel Salvador de Mudança do Clima, que na verdade, trata-se de uma rede organizada pela Secretaria Municipal de Sustentabilidade, Inovação e Resiliência (Secis), que pretende unir pesquisadores e profissionais da área para criar uma agenda climática para a cidade e estimular o desenvolvimento sustentável enquanto o prefeito ACM Neto assinou um termo de compromisso de ‘neutralização do carbono zero’ com a Battre, empresa que administra o Aterro Sanitário de Salvador.

 

 

SEMIÁRIDO

 

Na primeira palestra do dia, o climatologista Carlos Nobre disse que a crise climática provoca impactos em vários setores, principalmente na saúde, áreas urbanas, Amazônia, Agricultura. E, especificamente, no Nordeste no Semiárido. “Os riscos das mudanças climáticas para o Brasil está no Semiárido, que pode se tornar árido. Esta região é a mais vulnerável do país”, afiançou.

 

Carlos Nobre disse, também, que o Brasil está vivendo um momento semelhante aos Estados Unidos. “O governo federal vai numa direção enquanto os estados vão em outra. Estamos observando que no Brasil, há uma adesão até maior dos governos estaduais com o Acordo de Paris. Aqui, cerca de 23 dos 27 estados da Federação estão comprometidos em continuar com as propostas firmadas. Temos que torcer que eles continuem e consigam vencer essa fase difícil”.

 

O climatologista não escondeu uma séria preocupação. “O Brasil é um país tropical de altas temperaturas e umidade. Somos até mais vulneráveis ao aumento de temperatura do que outros. A nossa agricultura, por exemplo, está quase no limite. Se, os extremos continuarem a aumentar (temperatura e umidade), o Brasil vai perder a sua liderança neste segmento econômico”, vaticinou. Em seguida fez um alerta: “O Brasil precisa ter atitudes para cumprir seus compromissos com o Acordo de Paris”.

 

CAMINHOS

 

O secretário municipal de Sustentabilidade, André Fraga que está à frente da coordenação da Semana relatou que o evento terá momentos técnicos e outros mais gerais. “Temos momento em que o setor privado vai discutir financiamento com o Banco Mundial que está aqui presente. Também devemos aproveitar a oportunidade do lado econômico que a semana proporciona com a presença de turistas espalhados pela cidade. A gente brigou muito para sediar esse espaço. Agora estamos muito felizes com o que vimos nesta abertura dos trabalhos”.

 

André Fraga frisou, ainda, que vivemos uma crise climática no mundo e que quando se vive uma crise temos que parar para resolver. “A crise climática não está tendo a devida atenção dos principais atores; dos principais países; dos principais líderes mundiais. Por isso, é importante que o cidadão entenda a questão e também atue. O principal papel do cidadão é fazer pressão no sistema político de tomada de decisão geral. E fazer com que, de fato, o sistema mude. Precisamos pressionar o nosso coletivo, os principais formadores de opinião; criar uma massa crítica sobre o tema para que haja as mudanças. Se não mudar vai ser difícil com pequenas atitudes a gente resolver esse problema tão grave”.

 

CONTRIBUIÇÕES

 

Como participante engajado, o presidente do Instituto Baleia Jubarte, José Truda Palazzo disse que o Brasil e o Mundo está se preparando para a conferência que será realizada, em dezembro, no Chile. “Esta será uma maneira de nós levarmos as nossas contribuições para resolver esse imenso problema das mudanças climáticas. Juntos podemos fazer alguma coisa. As baleias contribuem para o equilíbrio climático armazenando carbono e ajudando na fertilização dos oceanos. As cidades podem contribuir muito, porque delas é que vem grande parte do problema do aquecimento global, com consumo de energia e materiais”.

 

José Palazzo completa suas posições dizendo: “Vejo este evento como uma oportunidade para intercambiar experiências, aprendermos uns com os outros e levarmos para o Chile as contribuições que os governos possam implementar nos seus planos. Precisamos resolver a questão climática e não deixar esse ‘pepino’ imenso para as futuras gerações do nosso planeta”.

 

ATENÇÕES

 

Durante os próximos dias, as atenções do mundo estarão voltadas para a capital baiana, em particular para o espaço Salvador Hall, na Avenida Luiz Viana Filho (Paralela), onde foi erguida uma cidade ecologicamente correta. O evento regional é organizado pela Convenção-Quadro das Nações Unidas (UNFCCC) e pela Prefeitura de Salvador, por meio da Secretaria Municipal de Sustentabilidade, Inovação e Resiliência (Secis), antecedendo a COP-25, maior conferência da ONU sobre o clima, a ser realizada em dezembro, no Chile.

 

Ao longo da programação, que é bem dinâmica, envolvendo discussões técnicas e diálogos temáticos, estarão presentes, além do prefeito ACM Neto, o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, e gestores de outras cidades do país e do mundo, a exemplo do chefe do Executivo municipal de São Paulo, Bruno Covas. Além do prefeito ACM Neto e do secretário da Secis, André Fraga, estavam presentes o embaixador da Holanda, Kees van Rij; o primeiro-secretário da Embaixada Alemã, Lutz Morgenstern; o diretor-regional do Grupo C40 de Grandes Cidades para Liderança do Clima (C40), Manuel Oliveira; a representante da Sociedade Alemã de Cooperação Internacional (GIZ), Ana Carolina Camara; e o diretor da UNFCCC, James Grabert.

Fonte: Tribuna da Bahia

ÚLTIMAS Notícias

May Pitanga - Show Planta Do Pé

14 de setembro de 2019 às 16:35:59

App Da Rádio Web jovem Brasil

13 de setembro de 2019 às 17:19:58

App Da Rádio Web jovem Brasil

13 de setembro de 2019 às 17:06:15

Fale Conosco

. Salvador - BA
(71) 0000-0000 | (71) 9935-41700 | (71) 9935-41700
radiojovembrasilweb@gmail.com